Uma apaixonante e esplendorosa terra, um magnífico povo! Será brilhante seu futuro, construído por todos os que têm Angola no coração, que nela ou na diáspora trabalham e com amor criam suas famílias.
Domingo, 31 de Agosto de 2008
Angolanos no Algarve

Comunidade angolana aspira a um Consulado

 

João Serra | Lisboa

Os angolanos residentes no Algarve, uma comunidade constituída por mais de dez mil pessoas, aspiram a ter um Consulado de Angola nesta região de Portugal, justificável segundo afirmam pela grande concentração de nacionais, que por falta desse serviço na sua zona de residência precisam de deslocar-se a Lisboa para tratar de assuntos como a emissão ou renovação de bilhetes de identidade e passaportes, vistos e inscrição consular.
Este desejo é partilhado pela APALGAR – Associação de Amizade dos PALOP no Algarve, que congrega maioritariamente angolanos. “A maior necessidade aqui é um Consulado, que já existiu de 2001 a 2002, em Faro, depois foi encerrado. Julgo saber que o Orçamento Geral do Estado para 2008 já prevê uma verba para a reabertura da representação consular no Algarve”, disse ao Jornal de Angola, em Quarteira, o presidente da APALGAR, Fernando Rocha, do Namibe.
A associação serve de facilitadora a pessoas com dificuldade de se deslocarem ao Consulado-Geral de Angola na capital portuguesa, encarregando-se de fazer chegar a Lisboa algumas solicitações burocráticas de membros da comunidade.“As dificuldades mais frequentes consistem na demora de emissão ou renovação de passaportes”, refere Fernando Rocha.
A Associação tem uma relação de proximidade com a Embaixada e com o Consulado-Geral, o que permite um desembaraço mais rápido de processos, que a distância por vezes faz demorar. “Temos mantido esta luta (no bom sentido, é claro) para abertura de um Consulado porque Angola tem no Algarve uma comunidade enorme e a crescer permanentemente, contando já com mais de dez mil pessoas, incluindo as crianças de ascendência nacional que aqui nascem e são registadas no Consulado-Geral de Lisboa”, acrescenta Fernando Rocha. Este contínuo crescimento da comunidade no Algarve deve-se também à chegada de familiares de pessoas radicadas na região e que acabam por se instalar no Algarve devido à abundante oferta de trabalho, sobretudo na construção civil e na indústria do turismo, que constitui um dos mais fortes pólos da economia da região.
A APALGAR tem sede em Quarteira e núcleos activos em Albufeira, Faro e Olhão, os concelhos algarvios com maior concentração de angolanos. Existe contacto permanente e estreito entre esses pólos, numa descentralização regional que facilita a ajuda recíproca em iniciativas da Associação.
A Associação de Amizade dos PALOP no Algarve surgiu da necessidade de uma estrutura associativa capaz de apoiar as comunidades destes países na região. Foi fundada em Dezembro de 1999 e tem hoje cerca de um milhar de associados, na sua grande maioria angolanos, mas cresce em média ao ritmo de uma centena de novos membros por ano. “Tem havido uma preocupação por parte da Embaixada de Angola e do Consulado-Geral para a resolução de casos relacionados com pedidos de documentos por angolanos residentes no Algarve, inscrições consulares e passaportes. Recebemos alguns pedidos aqui na Associação, que encaminhamos para Lisboa, disse Fernando Rocha ao Jornal de Angola.
A comunidade celebra todos os anos o aniversário da Independência de Angola com um alargado programa comemorativo, que inclui actividades culturais, recreativas e desportivas, que costumam contar com a presença do embaixador e de representantes do corpo consular. O programa é encerrado à boa maneira angolana com música e farra, que vai até de madrugada e tem cada vez maior participação da comunidade portuguesa.
Além das actividades lúdicas, recreativas e desportivas, a Associação tem uma componente de formação profissional apoiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Portugal. Foi iniciada em 2005 e ministra cursos de Informática, Contabilidade, Técnicas de Vendas e Higiene e Segurança no Trabalho, com bolsas de estudo para os alunos no valor do salário mínimo nacional português.
A sua equipa de futebol faz as alegrias dos associados: as inúmeras taças expostas nas instalações da APALGAR recordam vitórias em competições desportivas não só em Portugal, mas também em deslocações ao estrangeiro, especialmente Espanha, a convite de organizações congéneres e Consulados de Angola no exterior.
A APALGAR também organiza em Quarteira um grande festival anual de música africana que atrai milhares de pessoas, o FESTÁFRICA, como apoio da Câmara Municipal de Loulé e do Consulado-Geral e da Embaixada de Angola em Portugal.

(Jornal de Angola)


marcadores:

publicado por zé kahango às 22:57
link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De Simone a 17 de Junho de 2009 às 12:49
Bom Dia!
Gostaria de saber se é possível me fornecerem o contacto da Associação de Angolanos e Amigos de Angola no Algarve.

Agradeço a atenção desde já!

O meu e-mail é simone.vasconcelos@gmail.com

Com os melhores cumprimentos,

Simone.


De sonia rodrigues a 9 de Fevereiro de 2012 às 07:59
Gostaria de uma informação!nasci en Angola sou nacionazada portuguesa.quero tratar da minha nacionalidade angolana o que devo fazer e que documentos tenho que tratar gostaria de uma resposta vossa .


De ANIBAL ROSA a 16 de Outubro de 2012 às 15:59
cara amiga e conterranea , sou anibal rosa , fundador da casa de angola no algarve , e com muito prazer lhe digo que deve contactar, com o consulado em faro da nossa republica onde sera atendido com muita estima e respeito.em boa hora este organismo digno representante da nossa terra mae , abriu as suas portas nesta cidade, tendo consigo um aparato humano sempre a altura das aspiraçoes dos bons filhos da nossa patria , desde ja um forte abraço de amizade e solidariedade deste sempre ANIBAL ROSA


Comentar post

Editor e Redator:
José "Kahango" Frade
marcadores

a nossa gente

a nossa terra

crónica

cultura

editoriais

livros

memórias

o futuro é já hoje

poesia

todas as tags

pesquisar
 
posts recentes

Para breve, a história qu...

"DESDE ANTES DA SUA CRIAÇ...

por aqui passaram os expl...

Fuba de bombó

Tomás Lima Coelho - as ra...

Lembra-te Angola - nova s...

Sé Catedral

angolanos na exposição co...

Maravilha, com 830 página...

Ora bem...

Censura, Maldade ou Estup...

do "Panorama Missionário"...

"Missão de S. Bento do Ch...

movimentos “reivindicativ...

ainda sobre o silenciamen...

a "expansão pidesca" em A...

"Angola e as Retóricas Co...

A Baixa de Cassanje

Cassange, há 60 anos...

O que Salazar negou a Ang...

O que Salazar negou a Ang...

A "crise do Ensino Superi...

fases do colonialismo no ...

fases do colonialismo no ...

fases do colonialismo no ...

últimos comentários
Obrigado! Abraço.
Suspeito que a capa deste livro tenha ofendido alg...
Recorde-se, como aqui já foi citada, a importante ...
Mesmo assim, em rigor da verdade há motivações opo...
Sim, é precisamente desse artigo que retirei o que...
Este é um assunto que habitualmente dá origem às m...
Este, é um silenciamento voluntário. Por “má memór...
Essa rede de bufos era uma das causas do silêncio ...
Curioso e interessante. Fica registado. Entretanto...
As ficções sobre África (e também sobre os árabes....
Na verdade, não foi apenas aos colonos de Angola q...
Sim, esse é um livro incontornável para quem se in...
Esta reportagem poderá ser utilizada como um convi...
Obrigado, Karipande!
Neste século XXI, o povo Herero tem sido alvo de d...
Neste documentário, que não é etnográfico, são col...
É um local fantástico! Obrigado pela sua visita. V...
Também vivi na Baia dos Tigres até meados de 1974.
Veja-se um estudo detalhado (em espanhol): http://...
Um grande abraço e votos de 2021 na maior
posts mais comentados
24 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
Equipa do blogue
Coordenadora do Conselho Redatorial: Paula Duarte (A-Santa-Que-Me-Atura...) PAINEL DE COLABORADORES: Dionísio Sousa (Cavaleiro dos Contos), "Funka" (Nobre Reporter Permanente), João "Neco" Mangericão (Moçâmedes), Jorge Sá Pinto (Assuntos Arqueológicos), José Silva Pinto (Crónica Quotidiana), Mané Rodrigues (Assuntos Culturais), Paulo Jorge Martins (Fauna Grossa), Ulda Duarte (Linguística da Huíla), Valério Guerra (Poeta Residente).
ligações
arquivos

Junho 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Maio 2020

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Junho 2019

Março 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Maio 2017

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Abril 2006

Março 2006

o nosso contacto:
munhozfrade@gmail.com
subscrever feeds
blogs SAPO