Uma apaixonante e esplendorosa terra, um magnífico povo! Será brilhante seu futuro, construído por todos os que têm Angola no coração, que nela ou na diáspora trabalham e com amor criam suas famílias.
Domingo, 31 de Agosto de 2008
para a história da imprensa angolana

Jornalista em Angola a partir dos anos 50


LEONOR FIGUEIREDO
Ruy Correia de Freitas. Jornalista, foi o último director de 'a província de Angola' e o primeiro do 'Jornal de Angola'. Explica como o jornal já usava computadores nos anos 60 e a distribuição chegava a todo o extenso território

Recordações da imprensa na 2.ª metade do séc. XX

O primeiro grande desafio na carreira do jornalista Ruy Correia de Freitas aconteceu, acidentalmente, em África, nos anos 50. Hoje, com 86 anos, recorda ao DN episódios que retratam facetas da imprensa daquela época em Angola. Quando assume a liderança de a província de Angola, em 1949, diário de que foi o último director, não adivinharia que viria a ser, também, o primeiro director do Jornal de Angola, que ainda se publica.

A família do pai afectivo, António Correia de Freitas, detinha, através da Empresa Gráfica de Angola, metade do capital do jornal, fundado em 1923. Mas os seus protestos perante a política ultramarina empurraram o jornalista, mais cedo do que pensava, para a direcção do diário, que vendia 12 mil exemplares, rivalizando então com o Diário de Luanda.

"Sem líder no jornal, a empresa ofereceu-me um curso em Inglaterra para poder tomar conta daquilo. Estive dois anos e meio a estudar em Londres, no Tecnical College of Grafic Arts and Journalism. Os cursos englobavam desde equipamento, produtos químicos, maquetagem, jornalismo. Tornei-me bom aluno, recebi distinções. Quando completei o curso, aos 24 anos, voltei a Luanda onde comecei a orientar as coisas."

Ruy Correia de Freitas vinha com uma perspectiva europeia da imprensa. E trabalhou nesse sentido. "Em finais dos anos 60 a província de Angola era feita numa web-offset, imprimia 2500 jornais de cada vez, aquilo funcionava com computador. Nesse sentido éramos mais modernos do que em Portugal. Havia umas Remington enormes, máquinas de escrever computadorizadas onde fazíamos a escrita administrativa. Mais tarde o jornal passou a ser feito fotograficamente. Para rentabilizar a publicidade, inventei os anúncios de três linhas que davam uma margem muito grande. Fiz a montagem e a paginação das 20 páginas, com os conhecimentos do curso em Londres."

Um dos objectivos era estender a influência do diário no território. Conseguiu-o em três anos, beneficiando do facto de ser director do Aero Clube de Angola e piloto voluntário. "Abri delegações em Benguela, Moçâmedes, Nova Lisboa, Huambo, e por aí fora, 15 no total. Comprá- vamos vivendas onde viviam os jornalistas. Mandavam diariamente notícias por telefone. Na redacção de Luanda havia uns sete jornalistas, dos quais três mulheres [uma era a nossa ex-colega de redacção a jor- nalista Maria Augusta Silva]".

Apesar da enorme extensão da que é hoje a República Popular de Angola, Ruy Correia de Freitas garante que a distribuição do jornal não colocava problemas. "Todos os dias, a Direcção dos Transportes Aéreos (DTA) levava os jornais. Estavam no seu sítio de manhã cedo."

Em Luanda, o director instituiu os ardinas no início dos anos 70. "Havia uns rapazinhos a pedir esmola na rua. Escolhi 22 deles, arranjei-lhes uma casa com camas, comida e médico. Recebiam uma percentagem por cada jornal vendido". a província de Angola dava lucro. Segundo os últimos números que dispôs como director, antes do episódio da sua fuga, em 1975, o diário escoava 45 mil exemplares. O dia 30 de Junho de 1975 publica o último número de a província de Angola e em Julho inicia o Jornal de Angola de que foi o primeiro director.

(Diário de Notícias)


marcadores:

publicado por zé kahango às 15:15
link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De Fernando Cruz-Gomes a 17 de Outubro de 2009 às 05:50
Ruy Correia de Freitas faleceu, a 15 de Outubro de 2009, em Portugal. Era um homem bom que, em muitos aspectos, marcou Angola... pelo menos a Angola de "antes".
Fernando Cruz-Gomes


De zé kahango a 18 de Outubro de 2009 às 02:15
A "Angola de antes", como bem diz, foi um embrião de uma "África Europeia". Não é uma nuance de figuras de estilo, mas algo que tem se ser historiado com verdade, para que a memória não se perca. Mais do que a catarse de saudades, importa compreender o que quem lá vivia nessa época andava a construir...


De Pedro Correia de Freitas a 19 de Outubro de 2009 às 02:45
Ruy Correia de Freitas foi um grande Homem no seu tempo de vida e para sempre será lembrado como tal. Aprendi muito com ele espero um dia vir a ser metade do Homem que ele foi.
Nestes dias de tristeza que passo, só gostava de lhe poder dizer mais uma vez o quanto ele é especial.
Vou sentir muito a tua falta avô...


De broncasdocamilo a 26 de Abril de 2010 às 01:11
"-Aprecio muito o teu trabalho e gosto dos teus desenhos. Vais colaborar com o nosso jornal. Quero que traga sempre um desenho teu..."
Fiz "milhentos" trabalhos humorísticos para "a província de Angola", do Rui Correia de Freitas, a partir de 1965.


De paulino martins a 2 de Abril de 2014 às 15:29
Oi! eu queria saber o ano exato em que o jronalismo em angola começou e quem foi o mentor? será que alguem pode me responder?


Comentar post

Editor e Redator:
José "Kahango" Frade
marcadores

a nossa gente

a nossa terra

crónica

cultura

editoriais

livros

memórias

o futuro é já hoje

poesia

todas as tags

pesquisar
 
posts recentes

"DESDE ANTES DA SUA CRIAÇ...

por aqui passaram os expl...

Fuba de bombó

Tomás Lima Coelho - as ra...

Lembra-te Angola - nova s...

Sé Catedral

angolanos na exposição co...

Maravilha, com 830 página...

Ora bem...

Censura, Maldade ou Estup...

do "Panorama Missionário"...

"Missão de S. Bento do Ch...

movimentos “reivindicativ...

ainda sobre o silenciamen...

a "expansão pidesca" em A...

"Angola e as Retóricas Co...

A Baixa de Cassanje

Cassange, há 60 anos...

O que Salazar negou a Ang...

O que Salazar negou a Ang...

A "crise do Ensino Superi...

fases do colonialismo no ...

fases do colonialismo no ...

fases do colonialismo no ...

fases do colonialismo no ...

últimos comentários
Obrigado! Abraço.
Suspeito que a capa deste livro tenha ofendido alg...
Recorde-se, como aqui já foi citada, a importante ...
Mesmo assim, em rigor da verdade há motivações opo...
Sim, é precisamente desse artigo que retirei o que...
Este é um assunto que habitualmente dá origem às m...
Este, é um silenciamento voluntário. Por “má memór...
Essa rede de bufos era uma das causas do silêncio ...
Curioso e interessante. Fica registado. Entretanto...
As ficções sobre África (e também sobre os árabes....
Na verdade, não foi apenas aos colonos de Angola q...
Sim, esse é um livro incontornável para quem se in...
Esta reportagem poderá ser utilizada como um convi...
Obrigado, Karipande!
Neste século XXI, o povo Herero tem sido alvo de d...
Neste documentário, que não é etnográfico, são col...
É um local fantástico! Obrigado pela sua visita. V...
Também vivi na Baia dos Tigres até meados de 1974.
Veja-se um estudo detalhado (em espanhol): http://...
Um grande abraço e votos de 2021 na maior
posts mais comentados
24 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
Equipa do blogue
Coordenadora do Conselho Redatorial: Paula Duarte (A-Santa-Que-Me-Atura...) PAINEL DE COLABORADORES: Dionísio Sousa (Cavaleiro dos Contos), "Funka" (Nobre Reporter Permanente), João "Neco" Mangericão (Moçâmedes), Jorge Sá Pinto (Assuntos Arqueológicos), José Silva Pinto (Crónica Quotidiana), Mané Rodrigues (Assuntos Culturais), Paulo Jorge Martins (Fauna Grossa), Ulda Duarte (Linguística da Huíla), Valério Guerra (Poeta Residente).
ligações
arquivos

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Maio 2020

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Junho 2019

Março 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Maio 2017

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Abril 2006

Março 2006

o nosso contacto:
munhozfrade@gmail.com
subscrever feeds
blogs SAPO